O meu armário no carro por 43 meses

Já recebemos muitos pedidos sobre como eu consegui fazer uma mala para essa viagem e acho que essa pergunta inclui dois pontos principais: primeiro a complexidade de ter roupa para todo tipo de lugar e temperatura, e segundo sobre como conseguir se desapegar das suas coisas para trazer o mínimo possível.

De qualquer forma, esse foi um trabalho árduo no pré-viagem. Vale lembrar que cada um tem um apego diferente a suas roupas, acessórios e jeito de ser. Tem gente que não liga e leva uma mochila com uma calça e duas camisetas. A maioria das mensagens que recebo são exatamente das pessoas que não conseguem ser tão práticas assim e gostam de ter opções no dia a dia.

É ai que entra a superação!

Algumas pessoas que já me conhecem há um tempo sabem que eu sempre fui relativamente prática. Por mais que minhas amigas sempre desacreditavam da minha rapidez e praticidade. Minha mala sempre era a menor de todas e geralmente eu era sempre a primeira a estar pronta, etc…Morar no carro com um armário menor do que o do banheiro de muita gente já era demais da conta.

Para muitas pessoas esse seria o principal desafio, mas eu estava confiante que daria para levar tudo o que eu queria!

Mas vamos ao que interessa, para mim funcionou mais ou menos assim:

#1 – Guardei todas as minhas roupas de trabalho, calça social, blusas mais sofisticadas, ternos, camisas e sapatos de salto.

#2 – Depois comecei a separar roupas que fossem adequadas para cada estação, incluindo segunda pele, luvas e cachecol para o frio. Tudo que esteja no meio termo entre a jaqueta de neve até o bikini, passando por chinelo, chapéu e cangas para o verão.

#3 – O terceiro passo foi tirar coisas duplicadas (eu sei, dá vontade de levar todos os chapéus, aquela coleção de havaianas que você adora, 29 biquínis, 49 camisetas, 19 saídas de praia, 10 óculos escuros) e coisas que você TALVEZ usaria, deixando somente coisas confortáveis e que você COM CERTEZA vai usar.

Selecionando as roupas certas para levar

Para completar pedi para uma amiga que é consultora de estilo, a Alba Prizão, me fazer uma visita. Com todas as roupas em cima da cama dar uma última revisada no que fazia sentido. A consultora de estilo geralmente faz uma análise desde seu tom de pele, seu tipo físico para depois definir cores e peças que combinam com você. No nosso caso seria mais prático, pulamos essa parte e fomos direto para as roupas.

Muitas peças são coisas que você gosta mais não necessariamente combinam com o resto das suas peças. Então a consultora tem a frieza de olhar e falar, isso não faz sentido. Outra coisa que ela me ajudou foi fazer uma lista de coisas que talvez seria legal eu ter. Um tênis de cor neutra por exemplo, para depois eu decidir se eu iria comprar. Além disso, algumas dicas como: vale investir em ter uma segunda pele (roupa para o frio) melhor em vez de ter que usar três blusas e mais algumas dicas!

Depois de decididas as peças veio a parte ainda mais difícil. Fazer tudo isso entrar no carro. O que não foi uma tarefa fácil, mas com jeitinho e muita paciência, deu tudo certo. Optei por fazer rolinhos e separei em partes de baixo, blusas e roupa de frio. Assim ficaria fácil ir no armário certo dependendo da temperatura!

Quais roupas levar para uma viagem de volta ao mundo

A Alba publicou uma matéria no site dela e inclusive a lista do que separamos, o guarda-roupa ficou assim:

10 partes de baixo (calças, saias, bermudas, shorts e legging)

30 partes de cima (regatas, camisetas, batas, blusas de manga comprida, casacos e blusas térmicas)

2 vestidos

2 bolsas

6 pares de sapatos e chinelos

3 biquínis

2 saídas de praia

4 lenços para esquentar e versatilizar os looks

2 chapéus

1 par de óculos escuros

roupa íntima, meias, blusa e calça térmicas, um par de luvas e dois gorros.

Pra mim existiu um exercício de começar a usar roupas mais coloridas, mais lenços e ficar mais “relax” e bem diferente do trabalho! Ainda tem um coisa boa que é minha mãe tem um atelier de roupas. Então tudo que fui sentindo falta pedi para ela fazer e ela foi me mandando. Conforme novas roupas chegam despacho aquelas que não estou usando. Então vou mantendo o mesmo número de peças.

Nos EUA aproveitei para comprar um casaco de frio da Columbia que tem uma tecnologia de refletir e assim aumentar o calor do seu corpo e espero que não precise de outro! Também comprei algumas peças básicas como camisetas e malhas.

No geral não me falta nada, é engraçado que as vezes encontro peças que não uso há meses, rsrs, acaba que repito muito mais as roupas. O Leo sempre brinca que em São Paulo trocávamos as roupas e íamos aos mesmos lugares, agora usamos as mesmas roupas e vamos a lugares diferentes!

Para quem quiser conferir o post da Alba, clique aqui.

2017-07-23T16:46:19+00:00